Volkswagen quer voltar ao segundo lugar em vendas no Brasil já em 2018


Polo é o escolhido pela montadora alemã para ajudar a recuperar o terreno perdido

A terceira posição no ranking de vendas brasileiro incomoda a Volkswagen. De acordo com o presidente da marca no Brasil e na América do Sul, David Powels, a empresa pretende retomar a segunda colocação, perdida em 2014, já no ano que vem. “O objetivo não é a liderança, mas o resultado [financeiro]. Terceiro lugar é muito pouco para a VW, que merece mais”, avalia o executivo. Para tanto, ela terá ao menos três armas de calibre pesado nos próximos meses.

Segundo Powels, o topo não é uma obsessão, com o segundo lugar já sendo suficiente para a gigante alemã. No entanto, ele não nega também que a liderança não o seduza. “A matriz quer que sejamos rentáveis. A liderança é consequência”, pontua. Segundo ele, a VW fechará o ano no vermelho, como toda a indústria: “Com o mercado do jeito que está hoje, todo mundo faz prejuízo no Brasil.”

Para retomar o segundo lugar em 2018, a Volkswagen terá três armas “locais”. A primeira é o Polo, já confirmado para novembro. Com produção a ser iniciada em setembro, o hatch terá motores 1.0 MSI (até 90 cv), 1.6 MSI (até 120 cv) e 1.0 TSI (até 125 cv), rivalizando principalmente com Chevrolet Onix, Fiat Argo, Hyundai HB20 e Renault Sandero. Pouco depois, chega seu sedã, Virtus, que baterá de frente com GM Cobalt e Honda City, principalmente. A terceira aposta é um SUV, para atuar no segmento mais aquecido do mercado, enfrentando HR-V, Jeep Renegade e Hyundai Creta. Todos serão produzidos por aqui.

Tiguan Allspace, a segunda geração do SUV com carroceria longa e sete lugares

A linha de importados também será reforçada. A segunda geração do Tiguan cresce, oferecendo somente carroceria de sete lugares e atuando um degrau acima do modelo atual. Nesta faixa, haverá um SUV inédito, derivado do Golf, com provável produção na Argentina. Outra novidade é o Jetta, que deve voltar a ser mexicano, embora haja espaço para montagem local.

Fox tem futuro incerto após a chegada do Polo e os reposicionamentos de Up e Gol

Para brigar pela liderança até 2020, a Volks contará com outras novidades. A empresa prepara uma picape derivada do Polo para brigar com a Fiat Toro e também a oitava geração do Golf, que também deve voltar a ser importada. A família Gol assume um caráter cada vez mais popular, deixando o Up como carro de imagem e o Polo para volume. O Fox se perde no meio do caminho, correndo sério risco de sair de cena. Sua irmã SpaceFox, aliás, está praticamente morta no País.

ALTOS E BAIXOS

Principal montadora do Brasil por décadas, a Volkswagen viu sua participação minguar nos anos 1990. No início dos anos 2000, perdeu a liderança de vendas para a Fiat, ficando com o terceiro lugar de 2014 para cá. Com o envelhecimento da gama da rival italiana, a alemã tem espaço agora para crescer e bater de frente com a Chevrolet, que hoje ocupa o topo de vendas em marcas e modelos.

Anúncios

E VOCÊ, O QUE ACHOU DESTA NOTÍCIA?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s