Audi Q3 chega à segunda geração


Depois de sete anos (leia aqui), a Audi apresenta a renovação completa do Q3, o que há mais tempo estava no mercado sem mudanças profundas – o último retoque foi em 2014 (leia aqui). Nesta segunda geração, o SUV ficou mais arrojado, inspirando-se no recém-chegado Q8 (leia aqui). O modelo chega para brigar com os recentes BMW X1 e Volvo XC40, além dos já “veteranos” Mercedes-Benz GLA e Land Rover Evoque.

Com personalidade influenciada pelo Q8, como dito, o renovado Q3 ganha em esportividade. A grade segue o novo padrão da Audi, em formato octogonal e com uma grossas moldura, enquanto os faróis têm formato irregular, bastante recortado. O para-choque passa agressividade, graças às falsas tomadas de ar nas extremidades, que se unem por um filete atravessando a dianteira.

Nas laterais, o crossover segue a tradição da Audi, especialmente no corte dos vigias. Tal qual o Q8, porém, a janelinha extra abre espaço para uma coluna C com mais metal. Na traseira, o Q3 mantém as lanternas altas, mas elas deixam de ficar totalmente repousadas sobre a tampa do porta-malas. O conjunto é também mais recortado e esportivo, mas lembra ligeiramente o Opel Grandland X (leia aqui).

A revolução da segunda geração também pode ser vista pelo interior. Totalmente modificado, ele tem como destaques o quadro de instrumentos virtual e a grande tela da central multimídia integrada a uma faixa central do painel. No topo, os difusores se integram à cobertura do quadro, enquanto a base conta com comandos de climatização mais refinados.

MECÂNICA E MOTORES

Como esperado, o Q3 de segunda geração é construído sobre a plataforma modular MQB. Assim, ele mede 4,485 metros de comprimento (+9,7 centímetros que a primeira linhagem), 2,68 m de entre-eixos (+7,7 cm), 1,849 m de largura (+1,8 cm) e 1,585 m de altura (+0,5 cm), comportando entre 530 e 675 litros no porta-malas, ampliável pelo banco corrediço. Os números são bem parecidos com os do Volkswagen Tiguan europeu, mais curto que o comercializado no Brasil, e ficam próximos também dos rivais X1, XC40 e GLA.

Por ora, a Audi não detalha a gama de motores. A marca se limita a informar que o Q3 terá quatro opções, sendo uma a diesel (TDI) e três a gasolina (TFSI), com potências entre 150 (o 1.5 TFSI) e 230 cv (o 2.0 TFSI). A tração pode ser dianteira ou integral Quattro, com transmissões manual, de seis velocidades, ou automatizada de dupla embreagem (S-Tronic) e sete relações.

A suspensão adota sistema McPherson na dianteira e four-link atrás. Em opção, junto do pacote estético S Line, ela recebe molas e amortecedores mais rígidos. Já o sistema de direção pode contar com desmultiplicação variável, que deixa o volante mais “direto” de acordo com o ângulo de giro. A lista de itens tem outros componentes de destaque, como controlador de velocidade adaptativo com frenagem automática, auxílio de baliza, aviso de tráfego traseiro, faróis em LED Matrix e quatro câmeras para visão externa.

Publicidade

E VOCÊ, O QUE ACHOU DESTA NOTÍCIA?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s