Coronavírus: Como agem as fabricantes de veículos no Brasil


O surto do novo coronavírus fez com que governos determinassem isolamento quase total no Brasil, com exceção de serviços considerados essenciais – embora estes dependam de muitos “não essenciais” para continuar operando. Como reflexo dos decretos, as montadoras alternaram suas medidas, variando as ações de acordo com a atividade em questão e a localização de suas unidades. Confira como as marcas, por aqui, reagiram ao Covid-19.

As informações podem sofrer variação devido a novas ações. Elas estão atualizadas até 01/04/2020, às 10h20min.

AÇÕES DEVIDO AO COVID-19

— BMW – Atividades suspensas na fábrica de automóveis de Araquari (SC) entre 30 de março e 22 de abril, com férias coletivas para os operários. Setor administrativo já está em Home Office. A planta de motocicletas em Manaus (AM) para entre 30 de março e 23 de abril, também com a área corporativa em trabalho remoto.

— CAOA CHERY – Inicialmente com 70 demissões, suspendeu temporariamente os contratos de trabalho (layoff) de todos os funcionários da planta de Jacareí (SP) entre 1º e 30 de abril. Os funcionários readmitidos passaram à licença remunerada desde o dia 20 de março. Área administrativa em Home Office. Em Anápolis (GO), onde também monta veículos da Hyundai, as operações estão suspensas desde 23 de março, sem previsão de retomada.

— CNH INDUSTRIAL – Operações reduzidas gradativamente desde 23 de março, paralisação total a partir do dia 27, sem previsão de retomada. Medida válida para todas as fábricas do grupo, situadas em Contagem (MG), Curitiba (PR), Piracicaba, Sete Lagoas (MG) e Sorocaba (SP), englobando produtos das marcas Case, New Holland, Iveco e FPT.

— FCA FIAT CHRYSLER – Atividades suspensas em Betim (MG), Goiana (PE) e Campo Largo (PR) desde 27 de março, com congelamento até 27 de abril, podendo ter o prazo ampliado. Eventos públicos, como o lançamento da nova geração da Strada, foram adiados ou cancelados em toda a América Latina.

— FORD – Fábricas da Ford em Camaçari (BA) e Taubaté (SP) e a da Troller em Horizonte (CE) com operações paralisadas desde 23 de março. Previsão inicial de retomada das atividades para 13 de abril, com possibilidade de prorrogação.

— GENERAL MOTORS – Planta de Gravataí (RS) paralisada desde 20 de março, enquanto as fábricas de Joinville (SC), São Caetano do Sul (SP) e Mogi das Cruzes (SP) e o campo de provas de Indaiatuba (SP) fecharam no dia 23. Unidade de São José dos Campos (SP) com operações suspensas desde o dia 24.

— HONDA – Fábricas de automóveis em Itirapina (SP) e Sumaré (SP) fechadas de 25 de março a 14 de abril, com possibilidade de férias coletivas até 27 de abril. Unidade de motocicletas em Manaus (AM) paralisada de 27 de março a 20 de abril, com operários em férias coletivas e área administrativa em trabalho remoto.

— HPE (MITSUBISHI E SUZUKI) – Fábrica de Catalão (GO) fechada desde 23 de março. Praticamente todos os metalúrgicos (cerca de 1.900) em férias coletivas por 60 dias. Setor administrativo em São Paulo (SP) em Home Office desde o dia 20.

— HYUNDAI – Fábrica de Piracicaba (SP) com todos os 2.700 funcionários em férias coletivas entre 26 de março e 9 de abril. Reabertura da planta prevista para 13/04, após a Páscoa. Escritórios fechados.

— JAGUAR LAND ROVER – Unidade de Itatiaia (RJ) com operações suspensas entre 25 de março e 27 de abril. Metalúrgicos com banco de horas. Área administrativa em Home Office desde 16 de março.

— MERCEDES-BENZ – Cerca de 10 mil metalúrgicos da fábrica de automóveis de Iracemápolis (SP) e das plantas de Campinas (SP) e Juiz de Fora (MG) em férias coletivas entre 30 de março e 19 de abril. Retorno das atividades previsto para 22 de abril.

— NISSAN – Operações em Resende (RJ) paralisadas desde 25 de março, com 2,4 mil funcionários afastados. Previsão de retorno para 22 de abril, com possibilidade de prorrogação.

— PSA PEUGEOT CITROËN – Unidade de Porto Real (RJ) com produção suspensa desde 23 de março. Retomada programada para 22 de abril, com possibilidade de novo adiamento.

— RENAULT – Complexo de São José dos Pinhais (PR) totalmente paralisado desde 23 de março, dois dias antes do previsto, com 7,5 mil funcionários afastados. Suspensão prevista para até 14 de abril, com possibilidade de prorrogação.

— SCANIA – Fábrica de ônibus e caminhões em São Bernardo do Campo (SP) fechada desde 30 de março, com afastamento de 3,5 mil funcionários. Previsão inicial do prazo de suspensão para 13 de abril.

— TOYOTA – Fábricas de veículos e motores, situadas em Indaiatuba (SP), Porto Feliz (SP), São Bernardo do Campo (SP) e Sorocaba (SP), fechadas desde 24 de março. Previsão de retomada em 6 de abril, também com prorrogação em potencial.

— VOLKSWAGEN AUDI – Fábricas de São Bernardo do Campo (SP), Taubaté (SP), São Carlos (SP) e de São José dos Pinhais (PR) fechadas desde 23 de março, com área administrativa atuando em Home Office até o dia 30. Férias coletivas desde ontem (31), previstas para até o fim de abril. Planta de caminhões em Resende (RJ) fechada entre 30 de março e 20 de abril, com férias coletivas para todos os 4,5 mil funcionários.

— VOLVO – Planta de caminhões, ônibus, motores e transmissões, situada em Curitiba (PR), fechada desde 30 de março. Todos os 3,7 mil empregados em férias coletivas até 30 de abril.

E VOCÊ, O QUE ACHOU DESTA NOTÍCIA?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s