F1: Williams anuncia saída de Claire Williams após o GP da Itália


Claire e Frank Williams durante prova da F1 [Foto: Formula1.com]

Após ser vendida para o grupo de investimentos Dorilton Capital, dos Estados Unidos (leia aqui), a equipe Williams terá novo comando para o restante da temporada da Fórmula 1. Filha de Frank Williams, um dos fundadores da escuderia, Claire Williams deixará o cargo de chefe de equipe. A mudança acontece logo após o GP da Itália, que ocorre nesse domingo (6).

O comunicado de saída foi feito pela própria Claire, nas redes sociais da equipe britânica. Segundo ela, a decisão teve como base a necessidade da Williams de obter investimento externo, após a grave crise financeira que se instaurou em suas operações. “É com o coração pesado que estou me afastando do meu papel na equipe. Esperava continuar minha gestão por muito tempo no futuro e preservar o legado da família Williams para a próxima geração. No entanto, nossa necessidade de encontrar investimentos externos no início deste ano devido a uma série de fatores, muitos dos quais estavam fora de nosso controle, resultou na venda da equipe para Dorilton Capital”, explicou. A atual chefe de equipe garantiu que a medida foi pensada no bem da escuderia. “Sei que neles [a Dorilton Capital] encontramos as pessoas certas para levar Williams de volta à frente do grid, ao mesmo tempo preservando o legado Williams”, acrescentou.

Carros da temporada 2020 (acima) evoluíram sobre 2019

Com a saída de Claire, a família Williams deixa de ocupar um cargo de chefia dentro do time que leva seu sobrenome pela primeira vez desde 1977, quando foi fundada por Frank e Patrick Head. Ao longo desse período, a escuderia conquistou nove mundiais de construtores e sete de pilotos, um deles com Nelson Piquet, em 1987. A escuderia também foi a última casa de Ayrton Senna.

A filha de Frank chegou à equipe em 2002, na área de comunicações. Dez anos mais tarde, foi alçada ao conselho de administração, como diretora comercial e de marketing, assumindo a chefia do time em 2013. Depois de uma temporada desastrosa, contratou Felipe Massa para desenvolver o carro ao lado do promissor Valtteri Bottas, que chegou um ano antes. Em 2014 e 2015, a escuderia chegou ao terceiro lugar entre construtores, à frente da Ferrari no primeiro e da Red Bull no segundo. Daí em diante, porém, a Williams entrou em uma espiral que culminou com a última posição em 2018, pela primeira vez na história. Em 2019, o fracasso se repetiu, com apenas um ponto anotado. Em sete provas na F1 2020, o time inglês ainda não pontuou.

A saída de Claire, portanto, torna-se uma nova fase da Williams de se reinventar. Por isso, a Dorilton Capital anunciou a escolha de três pessoas para conduzir a equipe em um primeiro momento. Os escolhidos são Matthew Savage, presidente do fundo, e Darren Fultz, co-fundador da empresa. O terceiro é James Matthews, CEO da consultoria britânica Eden Rock, também conhecido por ser cunhado do Duque de Cambridge, Príncipe William, após se casar com Pippa Middleton, em 2017.

Publicidade

Um comentário sobre “F1: Williams anuncia saída de Claire Williams após o GP da Itália

E VOCÊ, O QUE ACHOU DESTA NOTÍCIA?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s