F1: Mercedes confirma Russell no lugar de Hamilton; Williams vai de Aitken


Russell em imersão na sede da Mercedes

O afastamento de Lewis Hamilton do GP de Sakhir, nesse domingo (6), por infecção por Covid-19 (leia aqui) criará uma oportunidade de ouro para George Russell. O talentoso britânico guiará pela Mercedes na próxima corrida da temporada 2020 da Fórmula 1, tendo chance de enfim mostrar seu potencial e marcar seus primeiros pontos na categoria. A escolha não surpreende por ele ser piloto da academia de talentos da equipe alemã, mas se esperava que o time fosse dar oportunidade ao belga Stoffel Vandoorne, seu reserva. Para o lugar de Russell, a Williams confirmou Jack Aitken, atualmente na Fórmula 2.

A decisão da Mercedes de dar a vaga pontual a Russell certamente causa furor no circo da F1. O britânico dá sinais de um grande potencial futuro, mas o carro da Williams não tem estado à altura do jovem talento. Com o melhor monoposto do grid, não é difícil imaginar que ele possa alcançar um resultado expressivo. “Eu tenho de fazer um enorme agradecimento a todos na Williams, por terem me dado essa oportunidade [de ser emprestado à Mercedes]. Eu posso usar um macacão diferente nesse fim de semana, mas sou piloto da Williams e estarei torcendo pelo meu time em cada etapa do caminho”, afirma Russell. “Obviamente, ninguém pode substituir Lewis, mas darei o meu melhor à equipe assim que assumir o carro. Também desejo a ele uma rápida recuperação”, acrescenta.

Russell bateu o recorde não-oficial de Hungaroring com a Mercedes em 2018

Campeão da GP3 em 2017 e da Fórmula 2 em 2018, Russell estreou na F1 no ano passado, mas ainda não pontuou. Ainda assim, é considerado um dos grandes nomes da geração: em suas 36 corridas na categoria, largou à frente de seus companheiros (Robert Kubica em 2019, Nicholas Latifi em 2020) em todas elas. Seus melhores resultados foram, até agora, foram os 11º lugares no GP da Alemanha 2019 e no GP da Toscana 2020. Em Sakhir, pode enfim terminar na zona de pontuação – e ter uma enorme oportunidade de mostrar, mais uma vez, sua qualidade.

O anglo-sul-coreano Jack Aitken

WILLIAMS VAI DE AITKEN

Para o lugar de Russell, a Williams escolheu outro britânico (mas também sul-coreano): Jack Aitken, um de seus três reservas. Já com 25 anos, ele fará sua estreia na Fórmula 1. Foi vice-campeão da GP3 em 2017 e está na F2 desde o ano seguinte, tendo como melhor classificação final o quinto lugar de 2019. No campeonato atual, ocupa apenas a 14ª colocação. A escolha por ele se deve principalmente à familiaridade com a escuderia e seu corpo técnico, tendo ele participado da primeira sessão de treinos livres do GP da Estíria, no início da temporada 2020.

Publicidade

E VOCÊ, O QUE ACHOU DESTA NOTÍCIA?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s