Porsche inicia testes com combustível sintético em 2022, no Chile


A Porsche anunciou que começará a fazer testes com combustíveis sintéticos a partir de 2022. O projeto será conduzido no Chile, fruto de uma parceria com a petrolífera local ENAP e empresas como Siemens Energy, Enel e AME. A viabilidade desse tipo de produto pode significar a continuidade dos motores a combustão interna por mais algum tempo.

Chamados e-fuels lá fora, os combustíveis sintéticos são criados a partir da combinação de hidrogênio com o carbono capturado na atmosfera. A partir daí, é criado metanol, que é transformado em um substituto para a gasolina em veículos equipados com esse tipo de motores. Ou seja: o processo utiliza da própria poluição para gerar o produto final, ajudando a reduzir o volume de gases na atmosfera. No país sul-americano, a expectativa ainda é de utilizar energia eólica durante a fabricação, reduzindo ainda mais o impacto ambiental.

No Chile, a intenção é estabelecer uma fábrica capaz de produzir os e-fuels em escala industrial. Primeiramente, a quantidade será pequena, para avaliações e testes de validação. Em 2024, espera-se fabricar 55 milhões de litros, passando para mais de 550 litros em 2026. “As vantagens recaem sobre a fácil aplicação: os e-fuels podem ser usados em motores a combustão e híbridos já desenvolvidos, além de poderem utilizar a atual rede de postos para reabastecimento”, disse o CEO da Porsche, Oliver Blume, à revista inglesa Autocar.

A aplicabilidade dos combustíveis sintéticos foi ressaltada também pelo chefe de esportivos da Porsche, Frank Walliser. “Estamos na pista [de testes], com nossos parceiros na América do Sul. É claro que, em 2022, teremos volumes pequenos para os primeiros ensaios. É um longo caminho, que requer investimento pesado, mas temos certeza que será um importante aliado para reduzir o impacto de CO2 no setor de transportes”, apontou. “A ideia geral por trás dos sintéticos é que não são necessárias mudanças nos motores, diferente do que vimos com E10 ou E20 [um misto de 10% a 20% de etanol na gasolina], então todos poderão usá-lo”, acrecentou Walliser.

Fonte: Autocar ]

Publicidade

E VOCÊ, O QUE ACHOU DESTA NOTÍCIA?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s