Vendas: Fiat volta à liderança após seis anos; Ford fica fora do top 10


Strada alavancou números da Fiat

Fora da liderança do mercado nacional desde 2015 (leia aqui) e terceira colocada em 2020 (leia aqui), a Fiat voltou ao topo de vendas no Brasil. Dentre vários fatores, o principal trunfo da italiana foi o menor impacto da falta de componentes, em especial semicondutores, em suas fábricas – as principais rivais, Chevrolet e Volkswagen, suspenderam operações por diversos meses. No grupo das quatro mais demandadas, a Hyundai repetiu 2020 e ficou logo atrás das três grandes, como o fez a Renault em 2019 (leia aqui). Agora sem produção nacional (leia aqui), a Ford despencou de vez, ocupando apenas a 11ª colocação no ranking de 2021.

Argo também teve boa demanda

Seria injusto, porém, atribuir o sucesso comercial da Fiat somente ao menor impacto da “crise dos semicondutores”. A segunda geração da Strada (leia aqui) caiu no gosto do mercado e foi o veículo mais emplacado do País, com quase 110 mil vendas, enquanto sua irmã Toro conquistou outros quase 71 mil clientes. Além disso, o Argo foi vice-líder entre os automóveis, a menos de duas mil unidades do campeão Hyundai HB20. Já o subcompacto Mobi foi o sétimo entre os modelos de passeio. Os quatro produtos somam 330.488 exemplares, ou 76,67% do que a Fiat vendeu no País ao longo de 2021.

VW sofrou com escassez de peças

Segunda colocada, a Volkswagen parecia favorita a tomar a dianteira no acumulado, considerando-se o resultado de 2020 (leia aqui). No entanto, os alemães enfrentaram problemas acentuados com a falta de peças, o que inclusive obrigou a remoção da central multimídia de alguns veículos, como Fox (leia aqui) e Nivus (leia aqui). O fechamento inevitável das fábricas também impactou na quantia final.

Linha Onix ficou sem produção por quase seis meses

O mesmo se pode dizer, aliás, da Chevrolet, que paralisou as operações na planta de Gravataí (RS) por quase seis meses (leia aqui), deixando de produzir Onix e Onix Plus. Com a retomada recente, a dupla voltou a liderar o mercado, mas já sem volume suficiente para recuperar o tempo perdido no ano. O SUV Tracker também enfrentou problemas no período.

HB20 liderou entre os automóveis

Os problemas dos rivais, de certa forma, beneficiaram não só a Fiat, com o Argo servindo de alternativa ao escasso Onix. A Hyundai também turbinou seus números, chegando à quinta posição, conduzida pelo HB20. O hatch liderou as vendas anuais pela primeira vez, tendo papel crucial no bom momento da marca. Ele e o Creta somaram 151.214 licenciamentos, representando 82,05% do volume total da coreana em 2021.

Corolla Cross teve boa aceitação

Com desempenho positivo, também vale mencionar o quinto lugar da Toyota, colhendo o sucesso do Corolla Cross, e o sexto da Jeep, que adicionou o Commander à gama como seu terceiro produto nacional. Além delas, a Caoa Chery fechou o ano na 10ª posição, um feito e tanto para uma empresa originalmente chinesa e gerida por um grupo brasileiro.

Caoa Chery Tiggo 8 vem conquistando o brasileiro

Por outro lado, é preciso que algumas companhias liguem o alerta, como a Renault. Com um modesto sétimo lugar, a francesa cortou a oferta de Logan e Sandero para focar na lucratividade. Pode dar certo a mudança de filosofia, mas será necessário que o consumidor consiga enxergá-la como uma marca mais cara para isso. Também houve queda acentuada para a Ford. Após encerrar a produção de veículos no País e deixar de oferecer modelos compactos, a empresa despencou no ranking, ficando fora do top 10. A situação não deve mudar, mas, novamente, o foco puro na lucratividade pode atrapalhar os planos.

Sem 1.6, sem CVT, sem RS: Sandero agora só 1.0

Confira abaixo os rankings.

FABRICANTES (DEZ/2021)
Pos. – Marca – Volume (Part.)
1 – Fiat – 35.461 (18,32%)
2 – Chevrolet – 33.684 (17,40%)
3 – Volkswagen – 27.657 (14,29%)
4 – Toyota – 18.882 (9,76%)
5 – Hyundai – 17.213 (8,89%)
6 – Renault – 14.123 (7,30%)
7 – Jeep – 13.168 (6,80%)
8 – Honda – 7.127 (3,68%)
9 – Nissan – 5.472 (2,83%)
10 – Caoa Chery – 3.699 (1,91%)
11 – Peugeot – 3.506 (1,81%)
12 – Citroën – 3.087 (1,59%)
13 – Ford – 2.620 (1,35%)
14 – Mitsubishi – 2.056 (1,06%)
15 – BMW – 1.134 (0,59%)
16 – Volvo – 833 (0,43%)
17 – Mercedes-Benz – 752 (0,39%)
18 – Land Rover – 575 (0,30%)
19 – Audi – 513 (0,27%)
20 – Kia – 501 (0,26%)
21 – Iveco – 310 (0,16%)

FABRICANTES (JAN-DEZ/2021)
Pos. – Marca – Volume (Part.)
1 – Fiat – 431.035 (21,83%)
2 – Volkswagen – 302.270 (15,31%)
3 – Chevrolet – 242.108 (12,26%)
4 – Hyundai – 184.284 (9,33%)
5 – Toyota – 172.945 (8,76%)
6 – Jeep – 148.763 (7,53%)
7 – Renault – 127.592 (6,46%)
8 – Honda – 81.446 (4,13%)
9 – Nissan – 64.929 (3,29%)
10 – Caoa Chery – 39.747 (2,01%)
11 – Ford – 37.778 (1,91%)
12 – Peugeot – 29.549 (1,50%)
13 – Citroën – 23.354 (1,18%)
14 – Mitsubishi – 20.633 (1,05%)
15 – BMW – 14.522 (0,74%)
16 – Volvo – 8.277 (0,42%)
17 – Mercedes-Benz – 7.154 (0,36%)
18 – Audi – 6.260 (0,32%)
19 – Land Rover – 5.169 (0,26%)
20 – Kia – 5.043 (0,26%)
21 – VW/MAN – 3.545 (0,18%)

Para conferir as vendas mensais, acesse abaixo:
Janeiro
Fevereiro
Março
Abril
Maio
Junho
Julho
Agosto
Setembro
Outubro
Novembro

Publicidade

E VOCÊ, O QUE ACHOU DESTA NOTÍCIA?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s