F1 2022: Análise das Escuderias


Perez and Russell.jpg

Como no caso dos pilotos (leia aqui), a mudança profunda no regulamento técnico da Fórmula 1 2022 tornou ainda mais difícil tentar prever o futuro. Mas, como de praxe, o ALL THE CARS faz apresenta o cenário do que se viu na pré-temporada, a impressão que cada escuderia deixou e suas metas eventuais no campeonato. Veja abaixo nossas considerações e, claro, participe da discussão com suas opiniões.

  • Mercedes-AMG Petronas F1 Team

Atual octacampeã entre construtores, a Mercedes já tem este recorde histórico de títulos consecutivos e pode aumentá-lo. No entanto, os testes de pré-temporada demonstraram que o time alemão não está na ponta do grid no momento. É bem verdade que a equipe tem “tradição” em esconder seu real potencial, mas, a julgar pelas declarações dos pilotos e pelas medidas tomadas pela escuderia no Bahrein, fica claro que há alguma dificuldade em alcançar a forma ideal. Enquanto ajusta seu carro, a flecha de prata deve tentar bater os rivais. Pela forma recente, porém, certamente entra na briga pelo título.

  • Oracle Red Bull Racing

A Red Bull foi uma das equipes que mostrou bom rendimento na pré-temporada. Os ensaios em Barcelona e Sakhir deixaram explícito que os austríacos encontraram uma boa receita para o novo regulamento. É claro que os testes de pré-temporada não significam necessariamente êxito quando a briga começa de verdade, mas o fato de não haver grandes problemas é um bom começo para os touros vermelhos. A cereja do bolo é a vontade de quebrar a sequência da Mercedes, ainda mais com a rivalidade criada nos últimos anos. Também é candidata ao título.

  • Scuderia Ferrari

A grande surpresa da pré-temporada, sem dúvidas, é a Ferrari. Após anos de sofrimento – com um decepcionante sexto lugar em 2020 -, os italianos parecem, enfim, ter reencontrado o caminho da vitória. Ainda é cedo pra dizer o quanto isso se refletirá em resultado, mas o rendimento dos carros tem sido digno de elogios. Praticamente todas as equipes reconhecem que, neste início de ano, o cavalinho rampante aparenta estar à frente de todos os demais. O chefe do time, Mattia Binotto, adota discurso de cautela, embora reconheça a empolgação com os primeiros testes. Com a soma de todos os fatores – incluindo os jovens pilotos -, a Ferrari pode, sim, ser apontada como uma das postulantes ao título.

  • McLaren F1 Team

Se a Ferrari traz empolgação aos fãs, a McLaren deixa os seus entusiastas apreensivos. Após uma boa pré-temporada na Espanha, os carros ingleses mostraram dificuldades acentuadas no calor do Bahrein. O principal entrave tem sido o aquecimento excessivo dos freios, embora outros pontos também tenham se mostrado críticos. Após duas boas temporadas, com terceiro e quarto lugares, a equipe inicia o ano com certa desconfiança. Ricciardo parece ainda pouco adaptado e até Norris tem mostrado dificuldade. Tende a ficar no meio do pelotão.

  • BWT Alpine F1 Team

Uma palavra pode definir bem a Alpine para 2022: incógnita. A equipe francesa aparenta uma ligeira evolução sobre o ano passado, quanto terminou no quinto lugar, mas ainda não aparenta muita força. Não houve grandes problemas com o carro, mas quem acompanhou os treinos diz que a Renault parece ter focado seu motor na potência em detrimento à confiabilidade, o que pode atrapalhar o time em algumas corridas. Por outro lado, o monoposto parece “justo”, sendo suficiente para manter a escuderia no pelotão intermediário e até sonhar com pódios.

  • Scuderia AlphaTauri

A pré-temporada da AlphaTauri também foi repleta de dúvidas. Em alguns momentos, Gasly extraiu bastante do carro, enquanto Tsunoda deu quilometragem ao monoposto. Ou seja: aparentemente, há uma evolução frente a 2021. No entanto, como acontece com a Alpine, o desempenho parece ainda não dar confiança para que a equipe faça apostas tão altas. As duas equipes, aliás, devem novamente brigar pelo meio da tabela, sonhando com um bastante possível quarto lugar.

  • Aston Martin Aramco Cognizant F1 Team

Já decepcionante em seu ano de estreia, após os excelentes resultados obtidos enquanto Racing Point, a Aston Martin chega a 2022 com uma grande interrogação. A equipe manteve a dupla do ano passado, mas dispensou Szafnauer, chefe da equipe há anos. Talvez a dispensa tenha a ver com o rendimento em 2021 ou com o desenvolvimento com o carro da temporada atual, mas fato é que, nos testes, o monoposto não deu pinta de que será competitivo. A impressão é que a escuderia passará o campeonato precisando ajustar o carro para tentar pontuar.

  • Williams Racing

Quem também não impressionou na pré-temporada foi a Williams. O time britânico até mostrou algum grau de evolução, mas parece ainda que falta algo mais para se alçar voos mais altos. Sem um desenvolver de carro – Latifi não tem essa característica – e com um “retornante” Albon, o time perde seu grande diferencial do último ano: o talento de Russell. A expectativa é que a equipe brigue para pontuar, como aconteceu nas temporadas passadas, sem muito brilho.

  • Alfa Romeo F1 Team Orlen

Não é que o desempenho na pré-temporada tenha sido magnífico, mas a Alfa Romeo parece ser uma das equipes que evoluiu bem em relação a 2021. Após um ano bem fraco, os italianos tiveram avanços expressivos em termos de desempenho, o que pode ser explicado também pela melhora no motor Ferrari. O time aposta as fichas no experiente Bottas e no novato Zhou para ganhar terreno, em uma combinação que pode dar certo. O finlandês já demonstrou que tem boa direção, ainda que não seja um campeão, enquanto o chinês tem bons resultados nas categorias júnior. Deve pontuar com certa frequência.

  • Haas F1 Team

Depois de congelar investimentos em 2021 para focar em 2022, a Haas chegou à pré-temporada cercada de expectativas. Sem o patrocinador principal e seu piloto pagante, o time norte-americano trouxe de volta Magnussen, que já nos testes apresentou bom rendimento. Os números foram consideráveis, em especial porque o dinamarquês mal teve tempo para se adequar ao carro. Schumacher também conseguiu boa rodagem, o que mostra que o monoposto caminha para voltar a pontuar com frequência na F1.

RESUMO

Com todas essas considerações, nossas apostas ficam assim:
– Mercedes – Candidata ao título (1º a 3º)
– Red Bull – Candidata ao título (1º a 3º)
– Ferrari – Candidata ao título (1º a 3º)
– Alpine – Briga por vitórias (4º a 7º)
– McLaren – Zona de pontuação (5º a 8º)
– AlphaTauri – Zona de pontuação (5º a 8º)
– Alfa Romeo – Zona de pontuação (5º a 8º)
– Haas – Pontos esporádicos (6º a 9º)
– Aston Martin – Fim da Fila (9º a 10º)
– Williams – Fim da fila (9º a 10º)

E VOCÊ, O QUE ACHOU DESTA NOTÍCIA?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s