F1: Leclerc lidera dobradinha da Ferrari no Bahrein; dupla da Red Bull abandona


Charles Leclerc com o troféu do GP do Bahrein — Foto: Peter J Fox/Getty Images

O Grande Prêmio do Bahrein, disputado neste domingo (20), deu uma pequena amostra de como deverá ser a temporada 2022 da Fórmula 1: repleta de disputas e surpresas. Após travar um belo duelo com Max Verstappen, Charles Leclerc venceu a primeira corrida do ano, liderando a dobradinha da Ferrari com Carlos Sainz. O holandês da Red Bull abandonou a três voltas do fim, quando estava em terceiro, deixando a posição para o companheiro Sergio Perez. No giro final, o mexicano também teve problemas, “sobrando” a última vaga do pódio para Lewis Hamilton. A prova ainda teve Kevin Magnussen, da Haas, em quinto, com as duas Alfa Romeo e as duas Alpine pontuando.

A CORRIDA

Largando na pole, Leclerc conseguiu se defender bem da investida inicial da Verstappen, assim com o fez Sainz em relação a Perez, que saiu em quarto, e Hamilton, que começou em quinto. O heptacampeão conseguiu passar o mexicano alguns metros adiante, assim como Magnussen, empurrando a Red Bull para sexto. Saindo de sexto, Valtteri Bottas começou muito mal e logo despencou para 14º. Em sua primeira prova pela Mercedes, George Russell largou em nono, mas ganhou duas posições, superando Bottas e Fernando Alonso.

Nas voltas seguintes, Leclerc começou a abrir boa distância de Verstappen, que também abria margem sobre Sainz. O espanhol também imprimia ritmo forte, não dando chance à aproximação de Hamilton. Na terceira volta, Perez retomaria a posição de Magnussen e coeçaria a caça ao heptacampeão da Mercedes. Enquanto isso, Russell passava por Magnussen, Yuki Tsunoda ultrapassava Alexander Albon e Bottas começava sua recuperação. Seu colega de time, o estreante Guanyu Zhou, havia largado em 14º, caído para 19º, mas já estava em 13º.

Na volta 10, Perez passava por Hamilton, que ainda sofria pra conseguir acompanhar os ponteiros. Na 12, a Mercedes decidiu chamar o britânico, colocando pneus duros. Ao retornar, ele sofreu para manter a temperatura dos pneus, sendo ultrapassado pelo estreante Zhou. O inglês reclamou no rádio por parar “cedo”, mas a equipe esperava se aproveitar das trocas dos rivais para ganhar posições. Na sequência, os times deram início às substituições de pneus. Verstappen parou e foi seguido por Sainz na mesma volta. No giro seguinte, Leclerc entrou para evitar riscos de undercut, com Perez fazendo o mesmo caminho.

No pelotão intermediário, as ultrapassagens eram mais frequentes, assim como no fim da fila. O mais impressionante, contudo, foi a falta de rendimento das Aston Martin e, principalmente, das McLaren. Daniel Ricciardo classificou em 18º e chegou a ser último, não tendo qualquer momento de protagonismo na prova. Lando Norris foi ainda pior: partiu de 13º, caiu para 18º nas voltas iniciais, ocupou também o fim da fila e fechou a prova atrás do colega australiano.

Na volta 27, Hamilton parou outra vez, novamente na esperança de uma sobrevida: os compostos duros não funcionaram para ele. A Red Bull tentou surpreender e chamou Verstappen para a troca também. Sainz assumiu a ponta por dois giros, porém também substituiu os pneus na sequência, sendo imitado por Perez. Foi quanto, na volta 44, o motor da AlphaTauri de Pierre Gasly, oitavo no momento, simplesmente se apagou. Em seguida, entrou em combustão, gerando um exótico incêndio no carro. Com o Safety Car na pista, Leclerc foi aos boxes para substituir os compostos.

Na relargada, Verstappen não conseguiu se aproximar de Leclerc para tentar a ultrapassagem. O holandês reclamava no rádio com o peso da direção. A quatro voltas do fim, Sainz partiu pra cima do holandês e tomou a segunda posição, colocando a Ferrari na ponta da corrida. Em seguida, o atual campeão reclamou de falta de energia nas baterias. A Red Bull, então, ordenou a retirada do carro. Sem Verstappen, Perez assumiu o terceiro posto e passou a ser atacado por Hamilton. Na volta final, contudo, o propulsor do mexicano simplesmente apagou na curva 1, causando o duplo abandono das Red Bull. Após sofrer bastante com o rendimento do Mercedes, o heptacampeão acabou ficando com o pódio.

A próxima é o GP da Arábia Saudita, nas ruas da cidade de Jidá, entre os dias 25 e 27 de março.

Confira abaixo a classificação da prova.

GP GULF AIR DO BAHREIN (57 voltas)
1. Charles Leclerc (MON) – Ferrari – em 01h37min33s584
2. Carlos Sainz (ESP) – Ferrari – a 5s598
3. Lewis Hamilton (ING) – Mercedes – a 9s675
4. George Russell (ING) – Mercedes – a 11s211
5. Kevin Magnussen (DIN) – Haas-Ferrari – a 14s754
6. Valtteri Bottas (FIN) – Alfa Romeo-Ferrari – a 16s119
7. Esteban Ocon (FRA) – Alpine-Renault – a 19s423
8. Yuki Tsunoda (JAP) – AlphaTauri-Red Bull– a 20s386
9. Fernando Alonso (ESP) – Alpine-Renault – a 22s390
10. Guanyu Zhou (CHN) – Alfa Romeo-Ferrari – a 23s064
11. Mick Schumacher (ALE) – Haas-Ferrari – a 32s574
12. Lance Stroll (CAN) – Aston Martin-Mercedes – a 45s873
13. Alexander Albon (TAI) – Williams-Mercedes – a 53s932
14. Daniel Ricciardo (AUS) – McLaren-Mercedes – a 54s975
15. Lando Norris (ING) – McLaren-Mercedes – a 56s335
16. Nicholas Latifi (CAN) – Williams-Mercedes – a 1min01s795
17. Nico Hulkenberg (ALE) – Aston Martin-Mercedes – a 1min03s829

NÃO COMPLETARAM
Sergio Perez (MEX) – Red Bull (motor)
Max Verstappen (HOL) – Red Bull (bomba de combustível)
Pierre Gasly (FRA) – AlphaTauri-Red Bull (motor)

VOLTA MAIS RÁPIDA
Charles Leclerc (MON) – Ferrari – 1min34s570 (volta 51)

PILOTO DO DIA (Votação do Público)
Charles Leclerc (MON) – Ferrari

E VOCÊ, O QUE ACHOU DESTA NOTÍCIA?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s