VW Gol e Voyage chegam à linha 2023


Sem alarde, a Volkswagen começa a exibir a linha 2023 de Gol e Voyage em seu site oficial. O motivo da falta de confetes é lógico: a dupla, de futuro pouco promissor, não traz qualquer novidade em termos visuais, mecânicos e de equipamentos. A única alteração, além da modelagem, está no preços mais alto.

Como acontece desde fevereiro, devido às normas de emissões do Proconve L7 (leia aqui), os compactos são oferecidos em versão única, sempre com o motor 1.0 12v Flex de 75/84 cv e 9,7/10,4 kgfm e câmbio manual de cinco marchas. De fábrica, a dupla traz direção hidráulica, ar condicionado, rodas de aço de 14 polegadas com calotas, banco traseiro rebatível, vidros dianteiros, travas e retrovisores elétricos, chave canivete (mas sem controle remoto para abertura e fechamento), predisposição para som, desembaçador traseiro e aviso de cinto do motorista desatado. No hatch, há também lavador e limpador para o vidro posterior.

O Gol é tabelado por R$ 74.150, enquanto o Voyage sai por R$ 85.770. Para ambos, há cinco opções de cor: a sólida vermelha Flash agrega R$ 500 à conta, enquanto as metálicas prata Sirius e cinza Platinum adicionam R$ 1.610. Os tons preto Ninja e branco Cristal não modificam o preço final da dupla.

Além da pintura, há outras opções, como as rodas de aço de 15 polegadas (+R$ 320) e o Pacote Interatividade Media Plus (+R$ 1.430), formado por alto-falantes dianteiros e rádio com Bluetooth. Há ainda o kit Urban Completo (+R$ 8.040 no Gol/+R$ 8.030 no Voyage), composto por computador de bordo, faróis de neblina, ajustes de altura e profundidade do volante, sensor de obstáculos traseiros, retrovisores e vidros traseiros elétricos, chave com telecomando, lanternas escurecidas, rodas de liga leve aro 15″ e central multimídia Composition Touch, entre outros.

O FUTURO DA DUPLA

Vale lembrar que o Voyage está prestes a deixar o mercado. Sem um sucessor à vista, o sedã morrerá pela segunda vez. Entre janeiro e março de 2022, somou 787 emplacamentos, sendo apenas 121 em março. A VW sofre com a escassez de componentes, é bem verdade, mas o modelo não é prioridade na gama e deve sair de cena no segundo semestre.

O futuro do Gol é um pouco mais promissor, embora também possa mudar. O modelo fará parte de uma nova família de entrada (leia aqui), mas seu papel nela ainda não está claro. Com a confirmação do Polo Track, uma variação mais simples do hatch, é provável que o antigo campeão de vendas tenha de trocar de proposta. Especula-se, assim, que ele vá se tornar o “SUV” da linha, que terá ainda uma picape para suceder a Saveiro. No primeiro trimestre de 2022, o Gol vendeu 6.338 unidades, volume suficiente para justificar sua existência: é mais que rivais como Peugeot 208, Toyota Yaris e Renault Sandero emplacaram no período, superando de longe o irmão Polo.

Publicidade

E VOCÊ, O QUE ACHOU DESTA NOTÍCIA?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s