F1: Sainz tem primeiro triunfo ao vencer na Inglaterra, com Perez e Hamilton no pódio


GettyImages-1406549162.jpg

Carlos Sainz enfim conquistou sua primeira vitória na Fórmula 1, ao ser o primeiro a ver a bandeira quadriculada no GP da Inglaterra, disputado neste domingo (3). Após 150 corridas, o espanhol finalmente triunfou, naquela que pode ser considerada a etapa mais emocionante da atual temporada. A briga ficou acirrada nas 10 voltas finais, com quatro pilotos se colocando na disputa pela vitória e cinco deles chegando bem próximos. No pódio, apareceram Sergio Perez e Lewis Hamilton. A prova ficou marcada ainda pelo impressionante acidente de Guanyu Zhou, logo na largada, após toque de George Russell, e a forte batida de Alexander Albon contra o muro, também na reta inicial. Líder do campeonato, Max Verstappen teve problemas no assoalho do carro e acabou em sétimo, logo à frente de Mick Schumacher, que pontuou pela primeira vez.

A CORRIDA

Ao ser dada a largada, Verstappen, com pneus macios, partiu pra cima de Sainz, que largou de médios, e logo tomou a dianteira. Hamilton, que começou em quinto, superou Perez e Charles Leclerc e subiu para terceiro, enquanto Fernando Alonso ganhou a posição do mexicano e subiu para quinto. Saindo em um inédito 10º, Nicholas Latifi ultrapassou Russell e Zhou e subiu a oitavo. Tentando aproveitar a largada ruim do chinês e do alemão, Pierre Gasly também se colocou entre os carros.

1406544176

Ao ser fechado por Russell, o francês da AlphaTauri freou, mas não conseguiu evitar o toque no pneu traseiro esquerdo do Mercedes. A flecha de prata bateu pneu posterior direito da Alfa Romeo e fez o monoposto italiano girar, causando um impressionante capotamento. O carro de Zhou disparou pela brita e foi jogado pro ar, superando a barreira de pneus e parando apenas na grade de proteção. Logo atrás, Sebastian Vettel não conseguiu frear e encostou na traseira da Williams de Albon, que foi lançado contra o muro de frente. Ele retornaria à pista, sendo ainda atingido por Esteban Ocon e Yuki Tsunoda. A direção imediatamente declarou bandeira vermelha.

Após a remoção de Zhou, ele foi levado ao centro médico e liberado, enquanto Albon precisou fazer uma série de exames. Apesar do acidente do chinês ter sido mais impressionante, os impactos enfrentados pelo tailandês foram muito maiores. A relargada aconteceu depois de 56 minutos e obedeceu a ordem de classificação. Ou seja: todas as ultrapassagens foram “invalidadas”. Por ter havido bandeira vermelha, todas as equipes puderam reparar os carros e trocar os pneus.

Na relargada, Verstappen optou por sair de médios, apostando que a tração aconteceria mesmo sem os macios. Porém, Sainz conseguiu se defender bem do ataque inicial. Perez chegou a passar Leclerc, mas a dupla acabou se enroscando e a asa frontal do mexicano foi danificada, o que o obrigou a parar na volta 5 e começar uma corrida de recuperação. No mesmo instante, Hamilton passou Lando Norris e subiu para quarto. No giro 8, Verstappen atacou Sainz, que acabou saindo da pista entre as curvas Becketts e Chapel, e tomou a ponta.

Na volta 10, Tsunoda, em oitavo, tentou passar Gasly por dentro da curva 3, perdeu a traseira e acabou batendo no colega de equipe, empurrando os dois pilotos da AlphaTauri pro fim da fila. A manobra causou uma punição ao japonês e fez com que o francês, 10 voltas depois, abandonasse. É provável que detritos de um dos carros tenha ficado inclusive na curva 5, tendo sido atingidos por Verstappen um pouco depois. O carro do holandês teve danos acentuados no assoalho, o que fez com que ele começasse a perder rendimento, sendo ultrapassado por Sainz e Leclerc. Ele então iria aos boxes para trocar pneus, acreditando que estava com algum furo, mas nada mudou no monoposto.

Com todo estes acontecimentos, Sainz assumiu a ponta e teve de se defender dos ataques de Leclerc. O monegasco reclamou pelo rádio que estava observando a aproximação de Hamilton, sinalizando um pedido de “jogo de equipe”. A solução da Ferrari foi chamar o espanhol na volta 20, para calçar duros e deixar Leclerc “de cara para o vento”. Carlos voltaria em terceiro, logo à frente de Norris. Na 23, Verstappen também voltaria aos boxes, assim como Leclerc na 25. Hamilton, então, liderou pela primeira vez em 2022. Na 33, o britânico enfim substituiu os pneus, mas teve uma parada ruim, de 4,3 segundos. Dessa forma, acabou retornando a 4s de Leclerc, enquanto a Mercedes havia calculado que eles estariam próximos – se tudo estivesse ocorrido como o planejado.

Na volta 38, Ocon ultrapassou Verstappen e subiu para oitavo. Porém, logo em seguida, seu Alpine começou a falhar, obrigando o francês a parar na “antiga reta”, logo antes da curva Copse. Assim, a direção colocou o Safety Car na pista, trazendo quase todos os pilotos para os boxes, a fim de calçar macios. Apenas Leclerc e Kevin Magnussen optaram por não parar. Após paradas, a ordem dos 10 primeiros estava assim: Leclerc, Sainz, Hamilton, Perez, Alonso, Norris, Sebastian Vettel, Magnussen, Verstappen e Schumacher.

1406546553

Três giros depois, ao relargar, Sainz, com macios novos, não teve dificuldade para superar Leclerc, com duros de 16 voltas. Logo atrás, Perez passou Hamilton, que seguiu “na cola”. A partir daí, os três travaram uma bela briga, com Hamilton subindo para segundo na 45 e Perez voltando a ultrapassá-lo na 46, de onde não mais saiu. Leclerc passaria também o heptacampeão, voltando a terceiro, mas o britânico retomou o posto duas voltas adiante e ainda conquistou a melhor volta no giro final. Alonso quase “tirou uma lasca” na disputa, mas terminou mesmo em quinto, tendo de se proteger de Norris. Na penúltima curva, Schumacher quase ultrapassou Verstappen, mas acabou mesmo em oitavo, cravando seus primeiros pontos na F1.

A próxima prova acontece já no próximo fim de semana, entre 08 e 10 de julho, no circuito de Red Bull Ring, em Spielberg, na Áustria.

Confira abaixo a classificação da prova.

GP LENOVO DA GRÃ-BRETANHA (52 voltas)
1. Carlos Sainz (ESP) – Ferrari – em 02h17min50s311
2. Sergio Perez (MEX) – Red Bull – a 3s779
3. Lewis Hamilton (ING) – Mercedes – a 6s225
4. Charles Leclerc (MON) – Ferrari – a 8s5446
5. Fernando Alonso (ESP) – Alpine-Renault – a 9s571
6. Lando Norris (ING) – McLaren-Mercedes – a 11s943
7. Max Verstappen (HOL) – Red Bull – a 18s777
8. Mick Schumacher (ALE) – Haas-Ferrari – a 18s995
9. Sebastian Vettel (ALE) – Aston Martin-Mercedes – a 22s356
10. Kevin Magnussen (DIN) – Haas-Ferrari – a 24s590
11. Lance Stroll (CAN) – Aston Martin-Mercedes – a 26s147
12. Nicholas Latifi (CAN) – Williams-Mercedes – a 32s511
13. Daniel Ricciardo (AUS) – McLaren-Mercedes – a 32s817
14. Yuki Tsunoda (JAP) – AlphaTauri-Red Bull – a 40s910

NÃO COMPLETARAM
Esteban Ocon (FRA) – Alpine-Renault (bomba de combustível)
Pierre Gasly (FRA) – AlphaTauri-Red Bull (asa traseira)
Valtteri Bottas (FIN) – Alfa Romeo-Ferrari (câmbio)
George Russell (ING) – Mercedes (acidente)
Guanyu Zhou (CHN) – Alfa Romeo-Ferrari (acidente)
Alexander Albon (TAI) – Williams-Mercedes (acidente)

VOLTA MAIS RÁPIDA
Lewis Hamilton (ING) – Mercedes – 1min30s510 (volta 52)

PILOTO DO DIA (Votação do Público)
Sergio Perez (MEX) – Red Bull

E VOCÊ, O QUE ACHOU DESTA NOTÍCIA?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s