F1: Verstappen vence nos EUA, bate recorde e Red Bull leva título de Construtores


F1 Championship standings after 2022 United States Grand Prix | RacingNews365

ATUALIZADO EM 28/10/2022: A organização decidiu por revogar a punição a Alonso, o que manteve sua sétima posição conquistada na pista.

ORIGINAL: Em um temporada inesquecível para si, Max Verstappen voltou a vencer, desta vez no GP dos Estados Unidos, cravando seu 13º triunfo em um único campeonato. O feito iguala o recorde detido por Michael Schumacher (2004) e Sebastian Vettel (2013), e pode ainda ser superado, haja vista que há três corridas para o fim do torneio. O holandês ficou à frente de Lewis Hamilton, que ficou bem próximo do rival, com Charles Leclerc completando o pódio. A etapa ainda foi marcada pelo abandono de Carlos Sainz, atingido por George Russell na primeira curva, e uma excelente recuperação de Fernando Alonso, após batida, mas que acabou sendo “invalidada” por uma punição aplicada após a prova. Vettel também teve bom rendimento, escolhido pelos fãs como Piloto do Dia.

A CORRIDA

Largando em segundo, Verstappen tracionou melhor e partiu pra cima de Sainz, tomando-lhe a frente na freada da primeira curva. O espanhol tentou dar o “X” no holandês, mas foi atingido por Russell, o que causou danos irreparáveis no carro, deixando a Ferrari sem um dos pilotos. O inglês da Mercedes acabou freando- e punido com 5 segundos pela batida – e foi ultrapassado por Lance Stroll, agora terceiro, logo atrás de Hamilton. Partindo de 10º, Sebastian Vettel já era quinto, enquanto Perez subia de nono para sétimo e Leclerc passava de 12º para décimo. “Encapsulado” atrás do monegasco, Kevin Magnussen caía de 13º para 18º.

Com Verstappen abrindo vantagem na ponta, seguido por Hamilton, Russell passaria Stroll na volta 5, subindo a terceiro. Naquele momento, Perez já era quinto, após ultrapassar Lando Norris e Vettel. Em seguida, o mexicano também partiria pra cima do canadense da Aston Martin, avançando para o quarto lugar. Leclerc ainda sofria para obter ritmo, mas conseguiria superar Pierre Gasly e Norris para chegar a sétimo. Um dos nomes da prova, Fernando Alonso era 11º, após largar em 14º.

Na volta 10, os pilotos começam a trocar os pneus médios, a maioria deles optando por duros, já para cumprir a regra que obriga o uso de dois compostos no GP. O primeiro dos ponteiros a parar é Hamilton, na 11, seguido por Verstappen na 12, com o holandês tentando evitar o undercut. Russell também iria aos boxes, também para cumprir a punição de 5 segundos, deixando Perez na liderança. O mexicano ficaria apenas uma volta na dianteira, também seguindo para a troca de pneus.

Vindo em segundo, ainda de médios, Leclerc é “beneficiado”: Valtteri Bottas perde a traseira na curva 19 e vai para a brita no giro 18. O Safety Car (SC) vai à pista e o monegasco se beneficia da menor velocidade dos rivais para trocar seus pneus e retornar em quarto, logo atrás de Perez e à frente de Russell. Alonso e Vettel também aproveitam, mas o alemão da Aston Martin retorna com médios, diferentemente da maioria dos pilotos. Após três voltas sob o carro de segurança, Verstappen mantém a dianteira na relargada, assim como os demais pilotos mantêm posição.

Na volta 22, logo depois da relargada, um novo acidente: Alonso tenta ultrapassar Stroll, que move o carro depois de o espanhol já ter iniciado a manobra, causando um acidente impressionante. O canadense deixa a corrida, enquanto o espanhol se arrasta com dois pneus furados e muitos danos até os boxes. O SC volta à pista para a limpeza dos muitos detritos deixados pelo acidente, enquanto o bicampeão substitui peças e compostos no box da Alpine e retorna em 17º, o último no grid naquele momento. Outros pilotos aproveitam novamente a parada para fazer outras trocas.

A retomada acontece na 26, novamente com Verstappen gerenciando bem a distância para os demais. Ele abre mais de um segundo para Hamilton, protegendo-se de possíveis avanços quando a asa móvel (DRS) for liberada, mas Perez não consegue o mesmo ante Leclerc, precisando se defender seguidamente do monegasco. O mexicano tem um pedaço da asa dianteira quebrado por um toque com Magnussen no início da prova. Na 30, o piloto da Ferrari enfim supera o rival da Red Bull e sobe para terceiro. No mesmo instante, Gasly recebe punição de 5 segundos por deixar mais de 10 carros de distância sobre o adversário da frente durante o Safety Car. Pelo rádio, Norris reclama de danos no carro por detritos da batida entre Stroll e Alonso.

Na 32, Gasly é chamado aos boxes para nova estratégia e pagar a punição, além de enfim abrir caminho para Tsunoda, que vinha mais rápido que o colega de time. Não há grandes mudanças na pista, até que começam as novas trocas, iniciadas por Hamilton. Em segundo, na 34, o inglês vai aos boxes e volta com duros outra vez. Verstappen segue o adversário na volta seguinte, mas opta pelos médios. O problema é que uma das parafusadeiras trava, fazendo com que o holandês fique mais de 11 segundos parado, deixando a ponta livre para o heptacampeão – ainda que ambos estejam mais atrás no pelotão, a “posição real” é essa. Entre as trocas, Perez lidera e, ao parar, Vettel assume a dianteira. O alemão fica dois giros na frente, vai aos boxes e também é prejudicado por uma parada ruim, de longos 16,8 s, despencando para 13º.

Pelos problemas, Verstappen reclama efusivamente pelo rádio, mas o engenheiro tenta acalmá-lo e lembrá-lo que nada está perdido. O holandês então inicia a caça ao rival, baixando cerca de meio segundo por volta. Na 39, a distância é de 4,4 s, caindo para 3,3 s na 43. Perez para e também sofre atraso, o que ajuda Russell a chegar bem próximo, mas o mexicano consegue manter o quarto posto. Ele começa a pisar fundo e tirar diferença para Leclerc, dando pinta de que pode brigar pelo pódio: a 12 voltas do fim, a margem para o monegasco é de 4,9 s. Mais atrás, Alonso escala o pelotão, com belas ultrapassagens: de 17º após sua batida, ele já era sétimo.

Na volta 47, Verstappen baixa a diferença para Hamilton para 1,5 s. Na 50, ele enfim abre a asa móvel e começa a ensaiar a ultrapassagem. Na maior reta, ele enfim supera o rival na chegada á curva 12. O britânico começa a reclamar, pelo rádio, de que o holandês está passando dos limites de pista, algo que pode gerar punição. De fato, o piloto da Red Bull recebe “bandeira branca e preta”, após três advertências pelas manobras. Contudo, Hamilton também recebe esta bandeira.

Na ponta, Verstappen começa a administrar a diferença sobre Hamilton, entre conservar pneus e carro e evitar passar dos limites da pista. Enquanto isso, Perez se aproxima de Leclerc, baixando a diferença para 1,8s a cinco voltas do fim. Alonso supera Magnussen e sobe para sexto, enquanto o dinamarquês é superado também por Norris e tenta se defender das investidas de Vettel. Em um belo duelo na volta final, o alemão consegue tomar a posição do piloto da Haas. Antes disso, Perez reduz o ritmo devido à perda de rendimento dos pneus, o que o impede de chegar ao pódio. Já Russell para, calça pneus macios e crava a melhor volta no último giro, tirando o ponto extra que era de Verstappen, o vencedor da prova.

Com a vitória, Verstappen iguala os recordes de Vettel e Schumacher, com 13 triunfos em uma única temporada. O holandês pode batê-los, haja vista que restam três etapas em 2022. O piloto do dia, pelos fãs, foi Vettel. Já Alonso consegue um excelente sétimo lugar – na penúltima volta, foi superado por Norris. Ele fora punido após protesto da Haas, por correr com o carro danificado, mas a Alpine apelou, argumentando que a organização da prova deveria ter advertido durante a corrida (ele ficou mais de 50% da etapa sem qualquer sinalização). Dias após o apelo, o espanhol teve os pontos devolvidos.

A próxima corrida acontece já neste final de semana, entre 28 e 30 de outubro. Trata-se do GP do México realizado no Circuito de Hermanos Rodriguez, na capital Cidade do México.

Confira abaixo a classificação da prova.

GP ARAMCO DOS ESTADOS UNIDOS (56 voltas)
1. Max Verstappen (HOL) – Red Bull – em 01h42min11s687
2. Lewis Hamilton (ING) – Mercedes – a 5s023
3. Charles Leclerc (MON) – Ferrari – a 7s501
4. Sergio Perez (MEX) – Red Bull – a 8s293
5. George Russell (ING) – Mercedes  – a 44s815
6. Lando Norris (ING) – McLaren-Mercedes – a 53s785
7. Fernando Alonso (ESP) – Alpine-Renault – a 55s078 *****
8. Sebastian Vettel (ALE) – Aston Martin-Mercedes – a 1min05s354
9. Kevin Magnussen (DIN) – Haas-Ferrari – a 1mins05834
10. Yuki Tsunoda (JAP) – AlphaTauri-Red Bull – a 1min10s919
11. Esteban Ocon (FRA) – Alpine-Renault – a 1min12s875
12. Zhou Guanyu (CHN) – Alfa Romeo-Ferrari – a 1min16s164
13. Alexander Albon (ING) – Williams-Mercedes – a 1min20s057 ****
14. Pierre Gasly (FRA) – AlphaTauri-Red Bull – a 1min21s763 *
15. Mick Schumacher (ALE) – Haas-Ferrari – a 1min24s490 ***
16. Daniel Ricciardo (AUS) – McLaren-Mercedes – a 1min30s487
17. Nicholas Latifi (CAN) – Williams-Merceds – a 1min43s588 **

*Punido com 10s: Não cumprir penalidade corretamente
**Punido com 5s: Forçar adversário a sair da pista
***Punido com 5s: Exceder limites de pista
****Punido com 5s: Sair da pista e levar vantagem
*****Punido com 30s: Circular com carro danificado [Cancelado]

NÃO COMPLETARAM
Lance Stroll (CAN) – Aston Martin-Mercedes (acidente)
Valtteri Bottas (FIN) – Alfa Romeo-Ferrari (acidente)
Carlos Sainz (ESP) – Ferrari (acidente)

VOLTA MAIS RÁPIDA
George Russell (ING) – Mercedes – 1min38s788 (volta 56)

PILOTO DO DIA (Votação do Público)
Sebastian Vettel (ALE) – Aston Martin-Mercedes

E VOCÊ, O QUE ACHOU DESTA NOTÍCIA?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s